BLOG > Geral | 19/04/2022

Tipos de cabos, entradas e conexões

O título deste texto, no qual falaremos sobre os tipos de cabos, entradas e conexões presentes nos computadores, nos sugere que ele terá uma abordagem focada sobre esses pontos, mas querendo ou não, dois nomes de referência surgem à mente ao citar tais palavras: Tigre e/ou Amanco.

No texto de hoje vamos falar sobre os cabos e suas funcionalidades, algumas das conexões existentes e entradas específicas, que auxiliam nas operações de nossas máquinas.

Vamos acompanhar um pouco mais sobre este assunto?

Quais os tipos de cabos e conexões existem?

Existem vários tipos de cabos e conexões, podendo ser de entrada e saída, cabos lógicos, de alimentação, de comunicação, de conectividade (internet), entre outros.

Cada um desses componentes é essencial para o funcionamento de nossas máquinas e demanda diárias, eles possuem uma função específica, atendendo às normas e adequações do Inmetro para que apresentem qualidade em sua utilização conforme tipo e aplicação.

1) Cabos de Vídeo

Atualmente existem alguns tipos de cabos lógicos para conexão, funcionando para a saída de dados na tela do computador, comunicando a placa-mãe (placa de vídeo On e OFF Board) com o(s) monitor(es).

Citamos aqui alguns exemplos dos mais conhecidos como: VGA, HDMI, DVI, DP, RCA, Thunderbolt e Mini DisplayPort.

1.1 VGA – Video Graphics Array

Esse padrão de cabo é um dos mais comuns presentes na conexão de monitores, normalmente o modelo com essa entrada já vem incluso nas placas-mães.

tipos de cabos


A IBM criou no final da década de 80 e ainda utiliza em vários computadores como uma conexão padrão na placa de vídeo onboard.

Alguns televisores mais antigos, apresentam essa conexão de entrada, que foi e ainda é utilizada muitas vezes para conectar um notebook ou projetores para apresentações ou afins.

1.2 HDMI – High-Definition Multimedia Interface

É um dos padrões mais conhecidos e utilizados nos dias atuais. Lançado no ano de 2003, esse cabo ganhou seu espaço, e ainda é muito utilizado, por conseguir fazer a transmissão de som e imagem, utilizando apenas um cabo.

tipos de cabos

Muitas pessoas utilizam esse modelo de cabo para transmitir a imagem de filmes e jogos. Muitas placas de vídeo e videogames utilizam essa tecnologia, como por exemplo, o Playstation 4. Da mesma forma, ainda existe a possibilidade de conectar um notebook a uma televisão.

HDMI 1.0 (2002):

Resolução de até 1.920 x 1.080 pixels ou 1920 × 1200 a 60 Hz, áudio de 24 bits, 192 kHz e LPCM em 8 canais.

HDMI 1.1 (2004):

Adicionado suporte a DVD-Audio.

HDMI 1.2 (2005):

Suporte a formatos One Bit Audio e DSD (Direct Stream Digital) do SuperAudio CD, conector HDMI Type-A liberado para PCs e monitores.

HDMI 1.2a (2005):

Especificações do CEC são introduzidas.

HDMI 1.3 (2006):

Resolução de até 1.920 x 1.080 a 120 Hz ou 2.560 x 1.440 pixels a 60 Hz, introdução do conector mini-HDMI.

HDMI 1.4 (2009):

Suporte a imagens em 4K (3.840 x 2.160 pixels), suporte a 1080p em 3D, suporte a HEC e ARC introduzidos, introdução do conector micro-HDMI.

HDMI 2.0 (2013):

Resolução 4K a 60 Hz e até 32 canais de áudio.

HDMI 2.0a (2015):

Introduziu o suporte a HDR.

HDMI 2.0b (2016):

Suporte a HDR10 adicionado.

HDMI 2.1 (2017):

Resolução 8K  a 60 Hz e 4K a 120 Hz, suporte a HDR dinâmico e alta taxa de frames.

1.3 DVI – Digital Visual Interface

Surgiu no de 1999 e se apresentou como sendo uma conexão totalmente digital que buscava otimizar a qualidade na transmissão de imagens. Pois, possui uma entrada bem específica e de fácil reconhecimento.

tipos de cabos

Existem padrões desses cabos, dentre eles temos o DVI-D e o DVI-I, sendo que os dois apresentam variações single e dual link.

1.4 DP – DisplayPort

A conexão de cabo DisplayPort entrou no mercado como um grande concorrente do cabo HDMI, surgindo em 2006, ele também substituiu conexões antigas, como o VGA e DVI, e se destaca pela forma com que os dados são mandados.

DP

1.4.1 – DisplayPort 1.1

Tem largura de banda de 8,64 Gb/s, suportando resolução de até 4K a 30 Hz. Ele também suporta a resolução Full HD a 144 Hz, a WFHD a 100 Hz, a Quad HD a 75 Hz e a WQD a 60 Hz.

1.4.2 – DisplayPort 1.2

Essa versão teve um salto para uma largura de banda de até 17,28 Gb/s e a resolução também subiu para até 5K, rodando a 30 Hz

1.4.3 – DisplayPort 1.3

Tem uma largura de banda de 25,92 Gb/s, e consegue gerenciar bem vários monitores em alta resolução, por exemplo, duas telas em 4K. Essa versão também ganhou o suporte a padrões de interface como o HDMI, DVI e VGA (com uso de adaptadores).

O DisplayPort 1.3 foi o primeiro a suportar a resolução 8K a 30 Hz, mas também consegue rodar o Full HD a 240 Hz, o WFHD a 240 Hz, o Quad HD a 240 Hz, o WQHD a 165 Hz, o 4K a 120 Hz e 5K a 60 Hz.

1.4.4 – DisplayPort 1.4

A versão 1.4 chegou com recursos de aprimoramento de vídeo e áudio, permitindo até 32 canais com frequência de 1536 kHz. Ele tem largura de banda de 32,4 Gb/s, suporta o HDR dinâmico e resolução máxima de 8K, dessa vez rodando a 60 Hz. Dessa forma, ele também roda o Full HD a 240 HZ, o WFHD a 240 Hz, o Quad HD a 240 Hz, o 4K a 120 Hz e 5K a 120 Hz.

1.4.5 – DisplayPort 2.0

O primeiro a ser capaz de lidar com a resolução 16K com taxa de atualização de 60 Hz. Ele tem largura de banda de 77,4 Gb/s, suporte a HDR e usa conector USB-C. Por isso, o cabo consegue lidar com três monitores em resolução 4K com 90 Hz de taxa de atualização, ou dois monitores 8K a 120 Hz.

1.4.6 – DisplayPort 2.1 

 A versão mais atual do DisplayPort é a versão 2.1 que entrega largura de banda total de 80 Gb/s, suporta todos os padrões de formatos de cores, profundidades de cores e espaço de cores mais recentes, além disso, oferece até 32 canais de áudio e resolução máxima de 8K com taxa de até 85 Hz sem métodos de compressão (como é o caso do HDMI 2.1 configurado a 8K com 60 Hz e 120 Hz).

1.5 RCA – Radio Corporation of America

Certamente você já se deparou com esse cara em algum momento ou lugar, pois ele é/era o cabo do Playstation 2 numa das pontas (a que conectava na TV). Inclusive, também é a conexão dos (quase extintos) aparelhos de DVDs (sim, até daquele que vinha com Karaokê junto) e vários outros equipamentos eletrônicos.

RCA

Esse tipo de cabo transmite dados de forma analógica. 

Também é conhecido como “vídeo composto”. Nele existem 3 pontas, cada uma com sua respectiva cor e função: duas delas transportam dados de áudio e a outra é responsável pela imagem.

Abaixo temos uma tabela com as especificações dos cabos analógicos.

Amarelo: vídeo analógico.

Branco: canal esquerdo de som estéreo (ou mono caso contrário).

Vermelho: canal direito de som estéreo.

Verde: áudio central.

Azul: canal esquerdo em aparelhos surround.

Cinza: canal direito em aparelhos surround.

Marrom: canal esquerdo traseiro em aparelhos surround.

Bege: canal direito traseiro em aparelhos surround.

Púrpura: subwoofer.

Há ainda o padrão do cabo de vídeo componente, que é um pouco diferente:

Verde: Y, ou seja, o brilho (luma).

Azul: Pb, ou seja, a diferença entre o azul e o brilho.

Vermelho: Pr, ou seja, a diferença entre o vermelho e o brilho.

2) Cabos de Alimentação

Para que todo e qualquer equipamento eletrônico funcione, é preciso que receba energia e para isso também temos cabos para essa função. Atualmente eles vem no novo padrão (NBR 14136) de 3 pinos, sendo eles: Fase, Neutro e Terra (pino central).

tipos de cabos

Ainda existem cabos que são modelo antigo, de 2 pinos, ainda funcionais, mas para os novos padrões das tomadas, é necessário um adaptador.

Cabo de 20A


Equipamentos que demandam uma maior capacidade de energia utilizam cabos de 20A, com funcionamento superior a 1000W. Por exemplo, as workstations utilizadas para realização de trabalhos mais “pesados”.

Os plugues e orifícios possuem 4,8 mm de espessura e necessitam de um circuito elétrico específico. Nessas tomadas de 20A, a potência máxima permitida em 127 V é de 2540 W, e para 220 V, a potência máxima é de 4400 W.

Largura do Fio Condutor (Sem aquecimento)


Os cabos possuem algumas especificidades, abaixo, descrevemos quanto cada um deles suporta na condução elétrica:

1,5 mm² = 15,5 ampères
2,5 mm² = 21,0 ampères
4,0 mm² = 28,0 ampères
6,0 mm² = 36,0 ampères
10,0 mm² = 50 ampères

3) Cabos de Conexão

Cabos de conexão ou cabos de rede, permitem que computadores e outros dispositivos sejam conectados uns aos outros. Os cabos de rede podem fazer a conexão com um roteador ou switch, além de vincular dois equipamentos diferentes.

3.1 RJ-11

Esse tipo de conexão (discada) não é mais utilizada por conta de que a tecnologia se tornou obsoleta e foi substituída pela rede com e sem fio, mais avançadas e com maior confiabilidade na transferência de dados.

tipos de cabos

Utilizava-se uma placa de modem e um cabo de telefone convencional para efetuar a conexão. E o som único, muito reconhecido por várias pessoas.

3.2 Com fio

O tipo de cabo para essa conexão é o RJ45, muito utilizado ainda hoje. Esse tipo de cabo, chamado ethernet, é constituído por 8 fios codificados por cores, compondo 4 pares de fios trançados, que podem ser configurados de acordo com a necessidade.

RJ45


Substitui a conexão sem fio, reduzindo a quantidade de cabos e conexões nos computadores.

3.3 CABO SFP

São cabos de conexão de rede preparados para receber um transceptor óptico externo, desenvolvido para aplicações que envolvem comunicação de dados em cabos de fibra óptica ou cobre. Muitos usados para conectar switch, servidores, storages e outros dispositivos. 

3.4 DAC 

O cabo mais funcional para cabeamento de conexões de alta velocidade entre dispositivos de rede e de fibra. Muito usado em datacenters ou backbone, pois é utilizado para conectar interfaces/portas ópticas em switches, roteadores, firewalls, placas PCI, equipamentos de áudio e vídeo.

4) Cabos de Comunicação / Transferência Dados

4.1 SATA – Serial Advanced Technology Attachment

Comumente utilizado em HDDs, SSDs e leitores de CD/DVD, está presente na conexão entre placa-mãe e esses componentes. Substituiu o cabo IDE, que era o antigo modelo utilizado na transferência de dados.

tipos de cabos

4.2 USB – Universal Serial Bus


Muitas pessoas usam esse tipo de cabo para conectar impressoras, celulares, câmeras e tantos outros acessórios que podem ser plugados no computador. Ou seja, sua principal função é a transferência de dados.

tipos de cabos

O cabo USB também possui outras variantes: USB-A, USB-B, Mini USB (4 e 5 pinos), Micro USB, USB-C. e USB- 3. Cada uma com sua respectiva especificidade.

4.2.1 USB 2.0 e 3.0

A diferença primordial entre essas versões é a velocidade na transferência de dados. Na versão USB 2.0 as trocas chegam até 480 Megabytes por segundo, já na USB 3.0, essa velocidade amplia-se dez vezes mais, atingindo 5 GB por segundo. Além disso, a versão 3.0 consome menos energia em comparação a sua antecessora, inclusive apenas nela está disponível o modo full-duplex, onde estações de trabalho podem transmitir e receber dados simultaneamente.

4.2.2 USB 3.1 e 3.2

O que difere entre USB 3.1 Ger 1 e USB 3.1 Ger 2 basicamente é em termos de velocidade. USB 3.1 Ger 1 atende velocidades de até 5Gbit/s, enquanto USB 3.1 Ger 2 até 10Gbit/s. Na maioria dos casos, as OEMs incluem as velocidades de 5Gbps ou 10Gbps às suas tabelas de especificações para demonstrar as diferenças entre os dois padrões USB.

4.2.3 USB 4

Criado em 2019, é compatível com o Thunderbold da Intel. Com velocidade de 40 Gb/s, tem o dobro de taxa de transferência do USB 3.2, de 20Gb/s 

4.2.4 USB4 2.0

Anunciado em 2022, pode atingir velocidade de até 80 GB/s usando os atuais cabos USB-C, o que é o dobro do USB4 1.0 que atinge velocidade de até 40 BG/s. 

A USB4 2.0 representa um avanço da tecnologia, conforme descrito na tabela abaixo:

4.2.3 USB Tipo C

Você pode usar esse tipo de conexão para carregamento e transferência de arquivos de forma mais rápida. É um padrão que vem sendo utilizado nas gerações mais recentes de smartphones. Afinal, além da alta durabilidade desse modelo de cabo, a questão da velocidade de transmissão de dados supera os demais tipos.

4.2.4 Micro USB

micro-usb

Esse tipo de cabo, costumeiramente era porta USB mais comum e ainda pode ser encontrada em muitos modelos de smartphone. Não há a necessidade de um computador, nesse modelo de conexão, para que os dados sejam lidos.

4.2.5 FireWire

É um dos tipos de conexão antigo, mas esse padrão em alguns casos ainda pode ser utilizado em vários dispositivos eletrônicos, como câmeras de vídeo digital, algumas impressoras e scanners,  discos rígidos externos  e outros periféricos. Ele foi desenvolvido visando oferecer suporte ao plu-and-play.

Também permite o Hot-swap, onde os usuários podem conectar ou desconectar dispositivos sem a necessidade de desligá-los.

Apresentamos para vocês os principais cabos e conexões que são utilizados atualmente. Mas, como toda tecnologia, a gente sabe que no futuro talvez existam outros modelos, atualizados, e estes se tornarão, provavelmente, obsoletos. Conta pra gente: você já conhecia todos estes cabos?

Gostou do tema deste post? Então, depois dessas informações sobre os cabos e conexões de entrada e saída, entre em contato com um de nossos consultores aqui da Razor Computadores e configure a workstation perfeita para a sua necessidade, adequação correta de cabeamentos e conexões.

Gabinete Razor

Impulsione seus resultados com uma Workstation Razor.

VER MÁQUINAS >
WhatsApp