Edição de vídeo, Motion e 3D | 17/07/2020

Melhor processador para After Effects: Intel Core 10ª geração Vs AMD Ryzen 3ª geração

Qual o melhor processador para After Effects? Intel ou AMD?

Por muito tempo, os processadores Intel mantiveram a sólida recomendação da PugetSystems para o After Effects, já que o AE normalmente usa apenas alguns núcleos e a Intel tende a ter um desempenho por núcleo mais alto em comparação com a AMD. No entanto, com os processadores Ryzen de terceira geração da AMD, lançados em julho de 2019, a AMD conseguiu preencher a lacuna a ponto de ficar atrás apenas 5% nos testes para os processadores de 9ª geração da Intel no After Effects. É difícil notar uma diferença de 5% em desempenho no mundo real, o que significa que (dependendo de quais outros aplicativos você utiliza no seu fluxo de trabalho), suas necessidades pessoais e possibilidades de investimentos financeiros serão o principal fator para escolher uma das duas marcas.

Com o lançamento dos novos processadores Intel de 10ª geração para desktop, estamos interessados em ver se a Intel é capaz de conseguir uma liderança sólida novamente no After Effects.

Neste artigo, os testadores da empresa PugetSystems examinaram o desempenho dos novos Intel de 10ª Geração: Core I9 10900K, I7 10700K e I5 10600K no After Effects em comparação com uma variedade de CPUs, incluindo a AMD Ryzen 3ª Geração e os processadores da família Intel X-10000, AMD Threadripper 3ª Geração, bem como os processadores Intel de 9ª Geração. Além disso, a PugetSystems incluiu um Mac Pro 2019 e o IMac Pro 2019 para atuar como pontos de referência adicionais. Se você estiver interessado em comparar esses processadores em outros aplicativos, a empresa também tem outros artigos testando o desempenho de hardware em softwares como o Premiere Pro, After Effects, Lightroom Classic e vários outros aplicativos.

Se você preferir pular a configuração de teste e os resultados de benchmark, sinta-se à vontade para pular direto para a conclusão.

 

Configuração de teste

Abaixo estão listadas as especificações dos sistemas que a empresa PugetSystems utilizou nos testes:

 

Para ver o desempenho de cada uma dessas configurações no After Effects, os testadores irão usar o benchmark PugetBench for After Effects V0.9 e o After Effects 2020 (17.0.5). Esta versão do benchmark inclui a capacidade de enviar os resultados para o banco de dados on-line da PugetSystems. Portanto, se você quiser saber como o seu próprio sistema se compara, poderá fazer o download e executar o benchmark por conta própria.

Um detalhe a ser observado, é que, devido ao impacto do COVID-19 no acesso ao hardware e às plataformas de teste, estão reutilizando os resultados da série Intel X, AMD Threadripper e Mac do artigo anterior After Effects: Desempenho do After Effects: PC Estação de trabalho vs Mac Pro (2019). A reutilização de resultados antigos é extremamente comum para as análises de hardware, embora normalmente a empresa refaça todos os testes para verificar se as versões mais recentes do BIOS, driver, atualização do Windows e aplicativos alteram os resultados. Nesse caso, no entanto, os testadores da Pugetsystems  uniram um pouco dos resultados antigos e novos.

Os responsáveis pelos testes descobriram que as placas-mães que eles receberam da Gigabyte no pré-lançamento (e de vários outros fabricantes) não estavam usando os limites de energia especificados pela Intel nas configurações padrão do BIOS. Isso não é novidade, mas agora que a Intel está sendo mais agressiva ao adicionar núcleos e aumentar a frequência, isso resulta em um consumo de energia (e calor) muito mais alto do que o esperado de um processador de 125W – geralmente resultando em temperaturas de 100c após apenas alguns segundos de carga. Por esse motivo, os testadores decidiram definir manualmente os limites de energia PL1 e PL2 no BIOS. Usaram um valor de 125W para a configuração PL1 nos três processadores Intel de 10ª geração que eles testaram junto com os seguintes limites de PL2, de acordo com as especificações da Intel:

Core i9 10900K: 250W

Core i7 10700K: 229W

Core i5 10600K: 182W

A definição desses limites de energia tornou o Noctua NH-U12S mais do que suficiente para manter essas CPUs adequadamente resfriadas e ajuda a corresponder à filosofia da empresa PugetSystems que é de priorizar a estabilidade e a confiabilidade sobre o desempenho bruto nas estações de trabalho.

 

Configure uma máquina para você

 

Resultados do Benchmark

Embora o benchmark utilizado pelos testadores apresente várias pontuações com base no desempenho de cada teste, eles também fornecem os resultados individuais para você examinar. Se houver uma tarefa específica que dificulta seu fluxo de trabalho, a análise dos resultados brutos dessa tarefa será muito mais aplicável do que as pontuações calculadas pelo benchmark.

Sinta-se à vontade para pular para a análise desses resultados, para obter uma visão mais ampla do desempenho de cada configuração e entender qual o melhor processador para After Effects.

 

PugetBench para After Effects V 9.0
Adobe After Effects 2020 (Versão 17.0.5)

Processador para After Effects

Tabela disponibilizada pela PugetSystems

 

Análise de benchmark: Intel Core 10ª geração vs AMD Ryzen 3ª geração

 

PugetBench para After Effects V 9.0
Pontuação Geral
Processador para After Effects

Gráfico disponibilizado pela PugetSystems

 

PugetBench para After Effects V 9.0
RAM – Pontuação da Pré-visualização do Vídeo
Processador para After Effects

Gráfico disponibilizado pela PugetSystems

 

PugetBench para After Effects V 9.0
Pontuação da Renderização
Processador para After Effects

Gráfico disponibilizado pela PugetSystems

 

PugetBench para After Effects V 9.0
Pontuação de Rastreamento
Processador para After Effects

Gráfico disponibilizado pela PugetSystems

 

Para começar a análise feita pela PugetSystems dos processadores Intel de 10ª geração para desktop, veremos primeiro o desempenho no After Effects versus os processadores de terceira geração Ryzen da AMD. É provável que isso seja do interesse da maioria dos leitores, por isso os testadores decidiram extrair esses resultados específicos da grande quantidade de resultados que estão na próxima seção.

Como o After Effects não se adapta particularmente bem a um número maior de núcleos de CPU, geralmente você não vê muita diferença de desempenho depois de atingir o nível AMD Ryzen 7 ou Intel Core I7, já que esses processadores tendem a ter um desempenho semelhante com núcleos únicos para impulsionar o desempenho. Você pode ver isso no gráfico acima, pois apenas o Core I5 10600K tem uma pontuação geral significativamente diferente das outras CPUs que a PugetSystems testou.

No entanto, se pesquisarmos os resultados com mais detalhes, há algumas nuances que não são aparentes na pontuação geral. Se você observar a pontuação de visualização da RAM (o segundo gráfico), os novos Intel Core I9 10900K e I7 10700K são cerca de 5% mais rápidos que os AMD Ryzen 9 3900X e 3800X, respectivamente. Além disso, os processadores Intel de 10ª geração também são cerca de 6% mais rápidos que os processadores AMD para renderização. Por outro lado, os processadores AMD Ryzen 3ª Geração são 3 a 8% mais rápidos que o Intel Core I9 10900K e I7 10700K para rastreamento.

O que isto significa é que, para a maioria das pessoas, os processadores Intel de 10ª geração provavelmente são a melhor escolha, pois são um pouco mais rápidos (cerca de 6%) que o AMD Ryzen de 3ª Geração para visualização e renderização de RAM. Porém, se você faz um monte de rastreamento, pode optar por um CPU AMD Ryzen 3ª Geração, pois eles são um pouco mais rápidos para essas tarefas.

 

Como o Intel 10ª geração se compara em geral?

 

PugetBench para After Effects V 9.0
Pontuação Geral

Gráfico disponibilizado pela PugetSystems

 

PugetBench para After Effects V 9.0
RAM – Pontuação da Pré-visualização do Vídeo

Gráfico disponibilizado pela PugetSystems

 

PugetBench para After Effects V 9.0
Pontuação da Renderização

Gráfico disponibilizado pela PugetSystems

 

PugetBench para After Effects V 9.0
Pontuação de Rastreamento

Gráfico disponibilizado pela PugetSystems

 

Observando como os processadores Intel de 10ª geração se comparam com uma ampla variedade de CPUs, há alguns pontos-chaves que queremos observar:

Primeiro, comparado aos processadores de 9ª geração, estamos olhando para um ganho de desempenho de 5% em média com os novos modelos de 10ª geração. O Core I7 10700K estava um pouco acima da média, com um ganho de desempenho geral de 7%, enquanto o Core I9 10900K apresentou apenas um pequeno ganho de desempenho de 2% sob o Core I9 9900K.

Em seguida, em relação ao novo Intel Core I9 10900K, os processadores Intel X-10000 são em geral cerca de 5% mais lentos no After Effects. Dependendo do seu fluxo de trabalho, uma série Intel X ainda pode ser a opção certa para você, mas esteja ciente de que, se o desempenho do After Effects for um ponto significativo para o seu trabalho, convém optar pela opção mais cara o Core I9 10900K ou I7 10700K sobre um processador Intel mais caro. O Threadripper 3960X da AMD, no entanto, é cerca de 10% mais rápido que o Core i9 10900K. Considerando que o 3960X é quase três vezes o preço do Intel Core I9 10900K, é um investimento bastante robusto para fazer um aumento modesto no desempenho.

Por fim, em comparação com os sistemas Apple disponíveis, nossa configuração do Core I9 10900K foi cerca de 7% mais rápida que o Mac Pro de US$ 20,000, ou 22% mais rápida que o iMac Pro de US$ 7,500.

 

O Intel Core de 10ª geração ou o AMD Ryzen de 3ª geração: qual é o melhor processador para After Effects?

Entre as CPUs Intel de 10ª geração e AMD Ryzen de 3ª geração, damos vantagem à Intel devido ao seu desempenho aproximadamente 6% maior para visualização e renderização de RAM. Os processadores AMD Ryzen de terceira geração tendem a ser cerca de 5% mais rápidos para rastreamento, no entanto, o que os torna a opção um pouco melhor, dependendo do tipo de trabalho que você costuma realizar no After Effects.

No geral, isso faz do Intel Core I9 10900K seja a nossa nova recomendação de CPU para After Effects. O Core I7 10700K é apenas um pouco mais lento que o Core I9 10900K; no entanto, muitos podem querer usar o modelo Core I7 por ser mais acessível e assim economizar um pouco de dinheiro sem sacrificar muito desempenho. Há também um detalhe a lebar em consideração para o AMD Threadripper 3960X, que é cerca de 10% mais rápido que o Core I9 10900K, embora, considerando o custo muito mais alto, você provavelmente esteja melhor com o Core I9 10900K e poderá investir o valor economizado em mais RAM, armazenamento mais rápido ou outras atualizações do sistema que podem fazer uma diferença maior no desempenho geral do sistema.

Lembre-se de que os resultados de referência neste artigo são estritamente para o After Effects e que o desempenho varia amplamente em diferentes aplicativos. Se o seu fluxo de trabalho incluir outros pacotes de software, é necessário considerar também o desempenho do sistema nesses aplicativos.

 

O texto apresentado consiste em uma tradução de uma matéria publicada no site da PugetSystems sobre qual é o melhor processador para o After Effects, e para que haja uma melhor compreensão em língua portuguesa foram realizadas algumas alterações quanto a gramática e concordância. Para ler a publicação na íntegra, acesse o artigo After Effects CPU performance: Intel Core 10th Gen vs AMD Ryzen 3rd Gen.

Gostou do artigo acima sobre qual o melhor processador para se utilizar o After Effects? 

Entre em contato com os profissionais da Razor e monte a Workstation perfeita para sua necessidade profissional.

Calculadora Razor

ASSINE NOSSO BLOG

Receba nossas publicações em seu e-mail.
Prometemos não exagerar :)