Tecnologia | 02/07/2018

Como escolher uma placa de vídeo

Está trabalhando com um projeto complexo de simulação e sistema do seu computador não está respondendo adequadamente? Você precisa lidar com softwares gráficos profissionais, mas a lentidão da máquina o faz ser menos produtivo? Então, chegou a hora de atualizar a sua placa de vídeo.

Como você já deve saber, as placas de vídeo são processadores dedicados que lidam com tudo que você pode visualizar na tela do seu computador. Quanto mais detalhes uma imagem tem ou quanto maior é o ambiente de um projeto arquitetônico, por exemplo, maior trabalho de renderização. Isto deixa o processamento mais lento.

Atualizar essa peça é praticamente obrigatório para qualquer pessoa que compra jogos de última geração para PC e para quem precisa usar softwares de edição gráfica com eficiência. Sendo assim, é bom se informar o melhor possível antes de fazer a sua escolha.

Neste artigo, você vai conhecer 6 fatores que devem ser levados em consideração na hora de escolher uma nova placa gráfica. Continue lendo e confira!

1. Quais são as suas necessidades?

Na maior parte das vezes, a linha intermediária — ou seja, placas gráficas na faixa de R$ 800,00 — são mais do que suficientes para o consumidor médio. Com elas, você já consegue jogar no PC a maioria dos jogos atuais em uma boa configuração, bem como consegue melhorar o desempenho de softwares como o Photoshop, por exemplo.

Nossa indicação hoje para placa de vídeo para jogos é a GTX 1050 TI de 4GB, um hardware que tem um excelente custo-benefício e já permite rodar praticamente todos os jogos.

Porém, se você faz questão de jogar os últimos lançamentos em games com qualidade total, uma placa de vídeo topo de linha é a melhor opção. O gasto extra pode assustar à primeira vista, mas é largamente compensado pela longevidade do hardware, que costuma superar o ciclo dos consoles de videogame mais modernos.

Agora, se você é um profissional que precisa lidar com softwares gráficos pesados, como o AutoCAD, Revit, Solidworks, After Effects e muitos outros, a melhor opção é, sem dúvida, as placas de vídeo da linha Quadro, da Nvidia. Desenvolvidas em conjunto com as maiores empresas de software do mundo, elas apresentam desempenho superior, alta precisão e maior durabilidade.

2. O que a placa de vídeo oferece?

Atualmente, as empresas que dominam o mercado de placas gráficas são a AMD e a Nvidia. Ambas produzem boas opções tanto para fins de trabalho quanto para diversão — e a escolha da marca não chega a fazer tanta diferença se os modelos forem equivalentes.

De todos os elementos que configuram uma placa gráfica, o que você mais deve considerar é a quantidade de núcleos de processamento (CUDA Cores no caso da Nvidia ou Stream Processors nos modelos da AMD).

Quanto mais memória RAM sua placa de vídeo tiver, mais dados e texturas serão processados pelo chip gráfico. Porém, atente para alguns fatores, como a largura de banda — as interfaces de 256 bits superam as de 128 bits — e ao tipo de RAM — os modelos DDR3 têm desempenho inferior aos do tipo GDDR5.

Não se engane com placas de vídeo mais antigas, busque sempre adquirir um modelo de última geração, muitas empresas ainda divulgam modelos antigos com uma alta largura de banda (128, 256, 384 bits) como se ainda fossem potentes.

Uma boa forma de verificar a performance do modelo escolhido é utilizando a ferramenta G3DMARK da Passmark, você pode acessar o site com toda a lista das placas de vídeo clicando aqui.

Atente também para as diferenças de hardware entre placas de vídeo Quadro e Geforce, muitas vezes as Quadros têm um número menor de cuda cores em relação às placas de vídeo Geforce.

Porém, isso não quer dizer que as placas profissionais têm um desempenho inferior. Como seus drivers são otimizados para aplicações profissionais como o AutoCAD, Revit, SolidWorks (entre muitos outros softwares), ele consegue entregar um desempenho muito superior com um hardware inferior, permitindo-a aquecer menos e ser mais estável.

Em alguns softwares, como o Siemens NX, uma Quadro P600 de 2GB consegue oferecer um desempenho 3 vezes superior a uma placa de vídeo Geforce GTX 1080 TI de 11GB, por isso é sempre bom verificar qual a placa de vídeo recomendada pela fabricante do software ou pedir ajuda para nossos especialistas ajudarem você a escolher a melhor opção. Já softwares com o Lumion, que dispõe de uma engine gráfica de jogo, têm um desempenho superior com uma Geforce GTX 1070 TI em relação a uma Quadro P4000.

Por fim, observe as saídas que a placa oferece para conectar o computador a um monitor externo. A maioria dos modelos atuais têm conexões HDMI e DVI, mas algumas já oferecem a saída DisplayPort e Mini DisplayPort. Fuja dos modelos que oferecem apenas a velha saída VGA: a tecnologia já está ultrapassada e transmite apenas a imagem analógica, com uma perda de qualidade considerável na imagem.

3. O seu hardware é compatível?

Toda placa de vídeo pode apresentar problemas de compatibilidade, especialmente se a sua máquina for mais antiga. Problemas comuns incluem coisas como a fonte de energia e o tamanho da própria placa — ela pode, inclusive, nem caber no seu gabinete.

De maneira geral, as placas de vídeo intermediárias do momento precisam de um slot PCI Express x16, e você terá que medir a distância desse slot para qualquer componente que possa interferir na sua placa gráfica. Por isso, verifique as dimensões da GPU, que podem ser conferidas no site do fabricante, e certifique-se de ter um pequeno espaço extra ao redor.

Confira, ainda, se a placa precisará de uma fonte de alimentação externa. Algumas placas de baixo custo obtêm energia suficiente da porta PCI da sua placa-mãe, enquanto outras exigem a ligação com a fonte de alimentação da máquina. Se for necessário utilizar mais energia, sua fonte precisará usar os cabos adequados ou você terá que encontrar um adaptador.

Por fim, certifique-se de que há energia suficiente para manter o bom desempenho do computador. Dependendo da sua escolha, pode ser preciso trocar sua fonte de alimentação por um modelo mais potente.

4. NVIDIA ou AMD?

Algo bem comum no mundo da tecnologia é a disputa entre duas grandes marcas dentro do mercado. Isso vale para os celulares Android e iOS, para os PCs contra os Macs e também para as placas de vídeo NVidia e AMD Radeon. Não faltam dúvidas sobre qual delas é a vencedora nesse tipo de disputa.

Em primeiro lugar, é bom lembrar que a escolha da marca e da estrutura da placa faz uma diferença bem maior do que aparenta. Um dos exemplos mais claros disso é a placa Radeon HD 7970, de 3 GB de memória. Sua competidora primária, a GeForce GTX 680, tem apenas 2 GB, mas apresenta performance superior em vários testes.

Por outro lado, algumas placas da NVidia podem apresentar um preço mais alto, o que pode estourar um pouco seu orçamento. É importante pesquisar em sites que realizam testes de hardware antes de tomar uma decisão. Especialmente se você precisa de um desempenho muito elevado para fazer o que pretende com seu computador.

5. Você pretende se atualizar de novo em pouco tempo?

Uma questão à parte, mas que ainda deve ser levada em consideração, é o seu planejamento para futuras alterações no seu hardware. Afinal, não vale muito a pena comprar uma placa de vídeo nova para um computador que você pretende trocar num futuro próximo ou cuja estrutura deve se tornar obsoleta em pouco tempo.

Também é importante ter em mente se o upgrade que você quer fazer na sua placa vai atender a outras demandas no futuro.

Você pode comprar uma peça mais em conta agora para dar conta de algo que você quer fazer agora, ou pode investir em uma com melhor processamento e continuar a usá-la por mais tempo.

6. É possível ir longe demais?

Por fim, sempre surge a dúvida: existe “processamento demais”? A princípio, parece um pouco estranho imaginar isso, pois todos dizem que, quanto melhor o desempenho, melhor será a experiência de uso. Mas há outros fatores que precisam ser considerados, não apenas os números que a placa apresenta.

Como mencionamos mais cedo, é importante avaliar a compatibilidade. Não adianta muito ter uma placa de vídeo de última geração se o seu processador de memória RAM, placa-mãe e saída de energia não acompanham o ritmo. Da mesma forma, comprar a placa mais recente só é relevante se você usa softwares que tirem proveito de toda essa potência. Para muitos usuários, um processamento mediano já dá conta do serviço.

Seguindo essas seis dicas simples, você não terá maiores problemas para encontrar a placa de vídeo mais adequada às suas necessidades. Lembre-se de pesquisar com atenção e comparar suas opções para encontrar a melhor relação entre custo e benefício. Isso já será mais que suficiente para garantir sua satisfação.

Quer receber tirar mais alguma dúvida antes de procurar a melhor placa para o seu computador? Então, deixe um comentário logo abaixo e já já o responderemos.

 

 

ASSINE NOSSO BLOG

Receba nossas publicações em seu e-mail.
Prometemos não exagerar :)