Geral | 26/01/2022

Memória RAM: tudo o que você precisa saber

A memória RAM é um dos itens mais importantes da constituição de um computador. A maioria das pessoas considera a memória RAM na hora de comprar um computador ou notebook, mas poucos sabem qual é a sua real função dentro dos equipamentos. Além disso, a configuração de RAM é uma das principais do hardware de um dispositivo, apesar de poucas pessoas saberem seu papel, também é muito fácil de entendê-la.

Nesse sentido, basicamente é a memória RAM que vai definir o que o seu computador vai ser capaz de rodar com qualidade, seja um software ou game, isto é, se a sua memória não for suficiente, ela pode até funcionar com um mínimo de desempenho naquele editor de imagens básico por exemplo, contudo um editor de vídeo ou alguns jogos mais modernos necessitarão de um upgrade de hardware ou terão que ser deixados de lado pelo usuário.

Em vista disso, a memória RAM é uma tecnologia que possibilita o acesso aos arquivos armazenados no computador. Diferentemente da memória do disco rígido, a RAM não registra conteúdos de forma permanente, ou seja, é responsável pela leitura dos conteúdos quando solicitados pelo usuário. Isto é, de forma não-sequencial, por esse motivo que a nomenclatura em inglês de RAM é Random Access Memory (Memória de Acesso Aleatório).

Não este Random Access Memory acima, mas sim este aqui:

Para exemplificar a forma como funciona uma memória RAM, é possível fazer uma analogia com uma mesa de estudos ou trabalho, onde você reúne todo o material imprescindível para realizar as tarefas: canetas, lápis e livros. Assim, os materiais seriam os arquivos e a memória RAM, a mesa, onde tudo se agrupa e o trabalho passa a ser feito.

Desse modo, a memória RAM pode ser compreendida como um espaço temporário de trabalho, pois, em seguida, após a tarefa ser realizada, os arquivos (material de estudos ou trabalho) são retirados da memória (mesa) e mantidos no HDD (armário).

Portanto, todo software executado é armazenado, de forma temporária, na memória RAM do computador. Assim, quando mais programas além do que é o suportado forem abertos, automaticamente o sistema operacional passa a utilizar a chamada memória virtual, que é armazenada em disco. Uma espécie de memória “reserva”.

Entretanto, há uma desvantagem nesse processo, pois a leitura e escrita de dados no disco rígido no computador são muito mais lentos se comparados ao processo equivalente na memória física. Então, para evitar que isso cause quedas de desempenho no equipamento, é aconselhado ter a quantidade mínima de memória disponível para executar suas tarefas, minimizando possíveis problemas de desempenho de seu equipamento. 

E aí? Ficou curioso para saber tudo sobre a memória RAM? Então, vamos lá!

 

COMO FUNCIONA A MEMÓRIA RAM?

Da mesma forma que a mesa de trabalho, que dependendo da sua capacidade física, maior ou menor será a sua capacidade de realizar tarefas. Contudo, a capacidade de uma mesa é medida em área, assim, quanto maior a área da mesa, mais livros cabem e mais rapidamente se faz o trabalho. Já a capacidade da memória RAM, mede-se pelo fluxo de bits suportados nas operações.

Em vista disso, para se acessar uma grande quantidade de memória no HDD de uma só vez, como muitos programas atuais exigem, é necessária uma boa quantidade de memória RAM. São estes, portanto, os mega ou gigabytes que aparecem nas configurações do seu computador.

Dessa forma, a memória RAM é um módulo que tem um funcionamento semelhante ao de um microprocessador, composta por milhões de transistores e capacitores. O capacitor é um componente capaz de armazenar elétrons e quando ele está carregado, o sistema operacional faz uma leitura com base no conhecido código binário de “zeros e uns”. 

Assim, cada uma dessas leituras em zero ou um significa um bit de informação enviado ou recebido. Desta forma, essa leitura é feita de forma veloz, ocorrendo  muitas trocas de informações em poucos milésimos de segundos. É assim que a memória RAM processa todas as ações executadas pelo usuário durante suas tarefas. Incrível, não é mesmo?!

 

LARGURA E VELOCIDADE DO BARRAMENTO DA MEMÓRIA RAM

Além da capacidade de processamento da memória RAM, outra característica que influencia no desempenho do componente é a largura e a velocidade do barramento, que consiste em um conjunto de “fios” responsáveis pela conexão da memória com os outros componentes.

Nesse sentido, a largura representa o número de bits que podem ser enviados ao CPU simultaneamente, enquanto a velocidade é o número de vezes que esse conjunto de bits pode ser enviado a cada segundo para a máquina.

Como vimos, a memória RAM comunica-se com o desktop trocando dados e completa o que conhecemos como ciclo de barramento. É nesse processo que se observa o desempenho da memória, que é medido em MHZ. 

Por exemplo, se uma memória tem 100MHz e 32bits, significa que a memória é capaz de enviar 32bits de dados ao processador por 100 milhões de vezes por segundo. Todavia, existe um efeito chamado latência, que atrasa a taxa de transferência de dados de forma significativa quando se envia o primeiro bit. Essa informação pode ser verificada no próprio módulo de memória, representada por uma sequência de numerais, como por exemplo 5-5-5-15. Quanto mais baixa essa latência, melhor a qualidade do RAM.

Portanto, ao se comprar uma memória RAM deve-se levar em conta a questão da taxa de transferência. Pois, não adianta a memória ter uma frequência alta e a frequência do sistema ser menor, pois a taxa do sistema vai limitar a da memória RAM.

 

COMO TIRAR TODO O DESEMPENHO DE SUA MEMÓRIA RAM

Uma maneira simples de dar um “impulso” à sua memória RAM é usando ferramentas como o ReadyBoost.  Esse software já acompanha o sistema operacional da Microsoft desde a versão do Windows Vista e pode ser utilizado com a ajuda de um pen drive, usando a sua memória como um adicional. 

Com base nisso, o software não é tão efetivo quanto comprar uma memória RAM de fato, porém é uma alternativa fácil, rápida e de custo zero, principalmente se o computador em questão estiver muito lento.

Outra maneira é usar o Gerenciador de Tarefas do computador para monitorar quais programas estão abertos e o quanto eles estão consumindo. Para acessar, use o comando Ctrl + Alt + Del e clique em “Gerenciador de Tarefas”. A aba a ser utilizada é a “Processos”. Se você observar que um programa está aberto, consumindo memória e não sendo utilizado, basta clicar com o botão direito e escolher “Finalizar processo”. Mas tome cuidado, feche apenas programas que você sabe quais são, senão pode acabar finalizando serviços comuns do Windows e comprometer o funcionamento do seu sistema operacional.

 

QUANTO DE MEMÓRIA RAM VOCÊ PRECISA?

Normalmente estamos adicionando novos programas no computador a todo o momento e a sensação é de que ele sempre estará precisando de mais memória. A primeira dica é pesquisar quais os requisitos para rodar os softwares que você costuma ou pretende utilizar, e a partir disso, pensar na sua necessidade de memória RAM.

Atualmente, um computador com 4GB de memória RAM já passa por algumas dificuldades.

Nós, da Razor Computadores recomendamos computadores com, no mínimo, 8GB de memória RAM, sendo o número essencial hoje em dia para se trabalhar com bom desempenho, pois a sua desenvoltura é  suficiente para manter o seu computador sempre “fresco”. Entretanto, se você for um profissional da área da arquitetura, engenharia ou editor de vídeo, a necessidade aumenta, e então a possibilidade de um computador com menos de 16GB está praticamente descartada.

 

O QUE É DDR?

A forma mais comum de RAM usada atualmente é DDR4 (Já temos a DDR5 no mercado), nesse sentido, é a quarta versão da DDR SDRAM. Além disso, antes do DDR4, os computadores utilizavam as versões DDR3 e, não é infrequente que os computadores ainda tenham RAM DDR3 ou ainda DDR2. 

Assim, o DDR4 foi lançado no final de 2014 e veio a se tornar o tipo de RAM mais usado há poucos anos. Ao mesmo tempo, os sticks de RAM são “chaveados” para evitar que as pessoas misturem e combinem diferentes gerações incompatíveis de DDR.

Também, a memória RAM é fabricada em duas versões: DIMM e SODIMM. O tipo DIMM é usado em computadores e servidores desktop, por outro lado, o SODIMM é usado em dispositivos menores, como notebooks e desktops compactos. 

Além disso, alguns computadores pré-fabricados (principalmente notebooks) também têm módulos de RAM soldados diretamente à placa-mãe. Quando este for o caso, não há sticks de RAM, o que torna a atualização impraticável.

 

CONCLUSÃO

Portanto, a memória RAM é de extrema importância quando se pensa em montar um computador ou notebook. Ela é vital no hardware do equipamento, sendo um dos principais componentes que se refere ao desempenho e velocidade de processamento dos dados.

E aí? Gostou de saber mais sobre a memória RAM?

Entre em contato com um de nossos consultores e adquira a workstation perfeita para a sua necessidade profissional.

ASSINE NOSSO BLOG

Receba nossas publicações em seu e-mail.
Prometemos não exagerar :)