Desktop Lean | 07/07/2020

Tudo sobre Placa de Vídeo

Você tem ideia de qual é a função de uma placa de vídeo em um equipamento? E sua importância para o desempenho dele, você sabe?

Tudo que você vê na tela do seu dispositivo é graças a sua placa de vídeo. Nesse sentido, os efeitos visuais das aplicações, cores, imagens, vídeos, jogos e projetos em 3D são possíveis devido a ela. Essa peça também é conhecida como unidade de processamento gráfico ou GPU. 

Além dos fatores acima, as placas de vídeos podem variar de gráficos integrados, que fazem parte da placa mãe ou do processador do equipamento, todavia, com um desempenho inferior se comparado com placas de expansão que são maiores e mais poderosas. 

As placas de expansão, comumente chamadas de placas dedicadas, são apropriadas para executar tarefas que exijam mais poder gráfico, como renderização acelerada de vídeos, gráficos de jogos, uso de softwares como AutoCAD ou até mesmo para trabalhos não gráficos, como a mineração de Bitcoins.

Atualmente, existem várias opções de placas de vídeo disponíveis no mercado, desde a mais simples até as mais robustas. Através desse artigo, vamos ajudar você a escolher a melhor placa de vídeo para a sua necessidade, por meio dos detalhes técnicos de cada componente.

Tudo sobre placa de vídeo

 

O que é uma Placa de Vídeo?

A placa de vídeo consiste em um componente do computador ou notebook que tem a função de transmitir as imagens para o monitor. São responsáveis por processar os dados do computador e transformá-los em imagem, além disso, as placas de vídeo são conhecidas pelo nome de processadores gráficos, por exercerem essas funções.

Esse componente é indispensável para programas de edição gráfica, assim como para um bom desempenho em edições e reprodução de vídeos, sem contar na performance gráfica no uso de softwares profissionais, que precisam cada vez mais de hardwares sofisticados para apresentar o máximo de desempenho. Há uma grande variedade de placas com recursos distintos.

As primeiras placas de vídeo começaram a ser fabricadas em 1981 pela empresa IBM e pela S3 Graphics, logo, outras empresas do ramo da tecnologia foram surgindo no mercado. No ano de 1995 surgiu no mercado a primeira placa de vídeo com acelerador gráfico 3D, desenvolvida pela empresa ViRGE. Em seguida a famosa Nvidia lançou a NV1.

 

Para que serve uma Placa de Vídeo?

Hoje em dia é possível encontrar placas para todos os tipos de necessidades, como para tarefas do dia a dia quanto para rodar programas mais pesados.

O padrão de placa mais usado é o SVGA (Super Video Graphics Array), que é capaz de suportar diversos modos de resolução do monitor, incluindo resoluções mais altas como as 4K, que aumentam o desempenho em jogos. Também, existe o padrão VGA (Video Graphics Array), que é utilizada em resoluções menores.

O GPU consiste em um processador próprio da placa de vídeo, sendo um computador à parte. A memória é responsável por todo processamento gráfico. Isso quer dizer que ela determina a qualidade da imagem a ser reproduzida na tela. De maneira geral, quanto mais eficiente for, mais frames vão ser reproduzidos por segundos – FPS, logo os gráficos poderão ser exibidos em maiores resoluções.

Tudo sobre placa de vídeo

 

Quais são os detalhes técnicos de uma Placa de Vídeo?

Que tal sabermos um pouco mais sobre como funciona uma placa de vídeo e quais peças a compõem?

Quando surgiram os primeiros computadores a interface com estes equipamentos eram pouco intuitiva, com telas pretas e sem muitas instruções, apenas textos no visor. Neste período o responsável pela parte gráfica e de fazer as informações aparecerem na tela era o próprio processador.

Isso não era eficiente, ao passo que o processador precisava lidar com diversas tarefas ao mesmo tempo. Todavia, as atividades eram bem mais simples, assim, o impacto era menor, dada a simplicidade das imagens e comandos.

Esse cenário mudou com a chegada das interfaces gráficas. O mercado se deu conta que interagir exclusivamente com textos não era tão intuitivo e agradável. A partir daí, começaram a ser desenvolvidos sistemas baseados na parte visual, com interações mais claras e eficientes por meio de elementos como desenhos, botões e setas.

De acordo com o tempo, o trabalho do processador ficou mais pesado devido a essas interações. Antes era limitado a apresentar o texto na tela, depois passou a ser algo mais complexo, como rastrear pontos, preencher figuras geométricas e renderizar imagens.

Foi aí que os engenheiros se deram conta que era uma coisa muito complexa para um único processador executar. O caminho para solucionar esse impasse foi a criação de uma outra central de processamento para compor os computadores, que ficaria responsável pela parte de processamento e renderização de imagens.

Nasce então a GPU ou chip gráfico, que veio a se tornar o componente mais importante de uma placa de vídeo. Este componente é o processador responsável por executar os cálculos e rotinas que resultam nas imagens exibidas no monitor do seu computador.

As GPUs executam uma sequência de etapas para que as imagens possam ser geradas. Essas etapas envolvem a elaboração de elementos gráficos, aplicação de tons de cores, além da inserção de efeitos. Assim, as GPUs contam com variados recursos de execução:

 

Pixel Shader – é um aglomerado de instruções que é utilizado para o processamento de efeitos de renderização de imagens. Em outras palavras, Pixel Shader é um programa que trabalha gerando efeitos com base em pixels. Esse recurso é bastante utilizado nas imagens 3D.

Vertex Shader – É semelhante ao Pixel Shader, porém, trabalha com vértices em vez de pixels. Sendo assim, Vertex Shader é um programa que trabalha com estruturas formadas por vértices, interagindo com figuras geométricas. Esse recurso tem como objetivo modelar os objetos que serão exibidos.

Render Output Unit (ROP)Manipula os dados armazenados em memória de vídeo, de forma que eles se transformem em um conjunto de pixels que formarão as imagens que serão exibidas na tela. Cabe às unidades de aplicação dos filtros, efeitos de profundidade dentre outros.

Texture Mapping Unit (TMU) – Esse componente é capaz de rotacionar e redimensionar bitmaps — imagens formadas por conjuntos de pixels — para que seja aplicada uma textura sob uma determinada superfície.

 

Overclock

Overclock é um artifício que pode ser usado com o objetivo de aumentar o calor do clock da placa de vídeo, forçando de maneira que amplifique sua potência. Seria como forçar o motor de um carro a trabalhar de forma mais intensa e constante.

Utilizar essa estratégia pode entregar resultados melhores, todavia, usar esse recurso pode acarretar em defeitos para sua placa de vídeo a médio e longo prazo, uma vez que esse componente não foi produzido para trabalhar nessa intensidade. Tenha sempre em mente que essa funcionalidade pode ser usada somente em momentos bem específicos e para suprir uma necessidade pontual.

 

VRAM

Vídeo RAM ou VRAM é uma expressão usada na computação para descrever a RAM dedicada a exibir gráficos. Geralmente a VRAM é fisicamente separada da RAM principal do computador.

 Esse atributo não é tão importante: placas de vídeo com uma VRAM menor muitas vezes podem entregar um desempenho maior dependendo dos outros componentes que hajam nela. Desse modo, este atributo é mais utilizado para texturas.

O mais importante para uma placa de vídeo são os núcleos de processamento. Cuda Cores no caso das placas Nvidia, é o que de fato entrega o desempenho para o seu computador.

Os núcleos RTX da Nvidia tomaram o lugar da GTX e oferecem uma nova abordagem, pois dão ênfase às técnicas ray tracing (traçado de raios) e são capazes de proporcionar gráficos mais realistas.

 

GeForce e Quadro: qual a diferença?

As placas de vídeo GeForce da Nvidia são produzidas para o público consumidor doméstico: que pode ser composto por usuários comuns, a fim de uma boa peça para equipar um computador pessoal, até gamers e entusiastas no setor, que investem nas melhores experiências gráficas possíveis.

Já as placas Quadros são mais comuns em laboratórios de pesquisa e grandes empresas. Diferentemente da GeForce, o seu uso é profissional, uma vez que aspectos internos dessas placas possibilitam uma renderização de imagem mais eficiente, além de calcular um enorme volume de dados e contam com uma maior durabilidade, sendo recomendadas para uso em workstations.

 

O que considerar no momento da compra?

Em geral, diferentes marcas prometem gráficos sofisticados e performance eficiente com seus produtos. Na prática, nem sempre é assim que acontece. Algumas marcas têm se destacado no mercado devido ao fato de que os seus produtos estão entre os mais vendidos.

Atualmente a Nvidia e AMD dominam o mercado de placas de vídeo por produzirem boas opções para fins de diversão e trabalho. Escolher uma marca em vez de outra não influencia diretamente na capacidade de execução gráfica, se forem iguais. No entanto, cada placa, oferece características próprias.

Tudo sobre placa de vídeo

 

Conclusão

Ter uma placa de vídeo é essencial para todos usuários. Alguns demandam uma placa mais dedicada, com grande capacidade de processamento, enquanto outros casos uma placa gráfica simples pode ser o suficiente para uma boa experiência. O importante é ter um componente adequado às necessidades de cada usuário.

Agora que você já conhece o funcionamento de uma placa e suas características, entre em contato conosco! Podemos ajudar você a escolher o melhor equipamento para a sua necessidade profissional.

hardware perfeito

 

ASSINE NOSSO BLOG

Receba nossas publicações em seu e-mail.
Prometemos não exagerar :)